Notícias e Publicações

Evento ensina a formalizar negócio: encontro dará dicas para o empreendedor estruturar a própria empresa e se manter ativo no mercado

Kasznar Leonardos 31/07/2019

O projeto "A Arte Gerando Renda", da ONG Favela Mundo, realiza amanhã duas palestras gratuitas para ajudar empreendedores da Rocinha a abrir ou formalizar o próprio negócio. O evento será no Cras Rinaldo de Lamare (Avenida Niemeyer, 776, 18º andar), às 14h, com inscrições no local.

Felipe Monteiro, diretor de startups e inovação do escritório Kasznar Leonardos, irá abordar aspectos jurídicos e de mercado que devem ser observados na hora de abrir uma empresa.

"Em primeiro lugar, é preciso escolher um negócio com o qual o empreendedor tenha afinidade e buscar um diferencial em relação à concorrência. Procurar entender o mercado em que está se inserindo e proteger a marca, a tecnologia desenvolvida e os serviços realizados também são etapas importantes do processo", diz Felipe Monteiro, que chama atenção, ainda, para a necessidade de separar as contas pessoais e da empresa.

Segundo Felipe Monteiro, a recomendação é ingressar no mercado como Microempreendedor Individual (MEI), pois a modalidade fornece ao empreendedor iniciante um Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), o que permite a emissão de notas fiscais.

"É preciso formalizar o negócio para garantir benefícios, como a Previdência. Além disso, boa parte dos clientes só vai contratar o profissional que emite nota fiscal", explica Felipe Monteiro.
Já Clarissa Frossard, gerente de RH do escritório Kasznar Leonardos, dará dicas sobre como se preparar para o mercado de trabalho. "Uma vez dentro dele, o mais importante é se manter atualizado. É preciso buscar especializações para se reinventar quando for preciso e nunca se acomodar", diz Clarissa Frossard.

As palestras são realizadas periodicamente e surgiram para orientar jovens e adultos que se formam nas turmas de capacitação do projeto "A Arte Gerando Renda". Atualmente, há aulas nos cursos de Fantasias e Adereços, Maquiagem Social, Maquiagem Artística, Unhas Decoradas, Artesanato, Turbantes e Tranças Afro. Os alunos recebem certificados e são indicados para atuar em escolas de samba e no teatro. "Muitos alunos se formam e começam a empreender, mas percebemos que há muitas dúvidas sobre MEI e formalização em geral", diz Marcelo Andriotti, diretor da ONG Favela Mundo.
 
Fonte: O Dia (versão impressa de 31/07/19)

BUSCAR

Siga-nos no Facebook